Category: Fala Jovem


Namoro Cristão- Não morda a Maçã

Se é da vontade de Deus que você comece a namorar (com base na postagem de ontem: então, siga os passos certos, desde o princípio, antes de namorar, antes de beijar, antes de revelar segredos (o que é totalmente inapropriado para mulheres de Deus):

1. Diga ao rapaz que peça permissão aos seus pais. Se ele for muito tímido para isso, ele não é bom o suficiente para você. Se seus pais não gostam dele, não comece o namoro. Espere um pouco e ore para que Deus toque o coração deles. A permissão dos seus pais é extremamente importante porque eles representam Deus na Terra. Se é da vontade de Deus, então, Ele tem que tocar o coração de seus pais para que eles aprovem. É claro que eu digo isso num mundo ideal, onde os pais também são da mesma fé. Há casos e casos…

2.
Uma vez que seus pais aprovem, você deve conversar com o pastor da sua igreja. Ele normalmente conhece o rapaz melhor que você, então, se ele sentir que não é bom que vocês fiquem juntos, ou que ambos ainda estão muito fracos na fé para começar um relacionamento, ouça-o. Ele sabe o que está falando. Se ele der a bênção a ambos… (mais uma vez, há casos e casos, nem todos que se chamam homens de Deus são verdadeiros homens de Deus – você terá que averiguar o caráter do pastor primeiro, para depois ouvir o que ele tem a dizer)

3. … vocês podem começar a namorar oficialmente. Agora é hora de contar aos seus amigos sobre isso. Vocês devem namorar para se conhecer melhor, não para ficarem apenas se beijando e abraçando (isso normalmente vai te levar para lugares dos quais você vai se arrepender depois). Então, procurem sempre estar em lugares públicos, nunca sozinhos ou no escuro.

4. Se ele te desrespeitar, querendo que seu tempo de namoro seja físico, esteja atenta a isso: ele não é a vontade de Deus para você. Deus não lhe daria um homem que não O teme. O namoro deve servir para que ambos se conheçam, que vejam se um é bom para o outro, se vocês vão combinar perfeitamente. Se há brigas, abuso, grosseria… fuja!

Estes são pontos cruciais que se você decidir não seguir, ainda estarei aqui, mas não tenho certeza sobre você. Eu aconselhei muitas garotas jovens na igreja, sofrendo em suas vidas afetivas por causa de seus corações. Não vá apenas pelo que eu digo, vá pelo que a Palavra de Deus diz: o coração é extremamente enganador!

Na fé,

Cristiane Cardoso

Anúncios

para evitar esse fim, evite o começo!

Chances de recuperação

As chances de recuperação dessa doença, que muitos especialistas chamam de “doença adquirida” (lembrando que a adição não tem cura), são muito baixas, pois exige a submissão voluntária ao tratamento por parte do dependente, o que é difícil, haja vista que a “fissura”, isto é, a vontade de voltar a usar a droga, é grande demais.
Além disso, a maioria das famílias de usuários não tem condições de custear tratamentos em clínicas particulares ou de conseguir vagas em clínicas terapêuticas assistenciais, que nem sempre são idôneas. É comum o dependente iniciar, mas abandonar o tratamento. Seis vezes mais potente que a cocaína, o crack tem ação devastadora provocando lesões cerebrais irreversíveis; porém, ao contrário do que se poderia imaginar, não são as complicações de saúde pelo uso crônico da droga, mas sim os homicídios que constituem a primeira causa de morte entre os usuários, resultantes de brigas em geral, ações policiais e punições de traficantes pelo não-pagamento de dívidas contraídas nesse comércio; outra causa importante são as doenças sexualmente transmissíveis, como o HIV, por exemplo, por conta do comportamento promíscuo que a droga gera.

Um estudo O pesquisador Marcelo Ribeiro de Araújo acompanhou 131 dependentes de crack internados em clínicas de reabilitação e concluiu que usuários de crack correm risco de morte oito vezes maior que a população em geral. Cerca de 18,5% dos pacientes morreram após cinco anos. Destes, cerca de 60% morreram assassinados, 10% morreram de overdose e 30% em decorrência de aids.

O nome deriva do verbo “to crack”, que, em inglês, significa quebrar, devido aos pequenos estalidos produzidos pelos cristais (as pedras) ao serem queimados, como se quebrassem.

drogasEncontrar um modo ideal para articular o tema drogas acaba sendo um desafio para especialistas de qualquer parte do mundo, imagine pra minha pessoa então? (risos) Não é algo tão fácil assim! Principalmente de forma concisa e sem discurso moralista sobre os riscos que o consumo de drogas traz a vida de um ser um humano. E ao se falar de drogas, não menciono aquelas utilizadas em laboratórios, farmácias, etc. Refiro-me as drogas psicoativas, que alteram o equilíbrio do individuo.

Só para esclarecimento, as drogas estão classificadas em três tipos: depressoras (Álcool, ópio, morfina), alucinógenas (maconha, LSD, heroína, etc.) e estimulantes (cocaína, crack, ecstasy, anfetaminas, cafeína, etc.).

Muitos de nós às vezes nos perguntamos: O que leva uma pessoa usar drogas? Estatisticamente falando, diversos são os motivos encontrados, tais como: Simples curiosidade, influência de amigos (mais comum), tentar fugir dos problemas (principalmente familiares), criar coragem (que sem o uso da droga, não faria o mesmo), a busca por sensações de prazer, dentre outros.

jovens_e_drogas

Infelizmente o uso de drogas se tornou algo mais corriqueiro em nossa sociedade e com isso se dissipando em todas as classes sociais. Já que antigamente o uso de crack, maconha, cocaína, dentre outras drogas eram mais vistas como algo da periferia, pessoas dependentes as drogas pelas condições desfavoráveis em que se vive. Segundo a psiquiatra Analice Gigliotti presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (Abead) e chefe do Setor de Dependência Química da Santa Casa de Misericórdia do RJ, aproximadamente 40% dos usuários são indivíduos de classe média. “Esse dado se fundamenta em informações dos números de internações em clínicas específicas, que é um outro público”, afirma.

Vários episódios tem se mostrado na mídia ultimamente, relacionados ao uso de drogas. Como por exemplo, o final trágico que aconteceu na ultima semana, que um pai por não agüentar mais o sofrimento do filho viciado em crack, na qual estrangulou uma amiga, veio a público expor sua dor, alertando assim muitas famílias . Casos como de crianças em uma escola pública no RS em vez de brincarem de esconde, brincavam de traficantes, usando o pó de giz como se fosse à cocaína. Essa “brincadeira” mostrou o reflexo do cotidiano que essas crianças estão tendo e que se não for trabalhada a prevenção ao uso das drogas com esses pequenos, futuramente serão dependentes químicos. Infelizmente essa é a realidade!

Diga Nao a Drogas

Família estruturada, diálogo família, participação dos pais na vida dos filhos, dentre outros fatores, com certeza são de suma importância para que futuramente o filho(a) não venha sentir a necessidade de buscar a paz de espírito, relaxamento ou outros sensações inversas que são passageiras, na qual são encontradas nas drogas. Já que hoje pesquisas mostram que a maioria dos usuários viciados são pessoas desestruturadas.

Diante de tantos transtornos que o uso a drogas acarreta ao ser humano, acabando com a vida gradativamente de quem se torna um viciado e que a dependência se constitui muitas vezes por apenas uma cheirada, uma tragada ou uma aplicação, já que uma simples “experimentada” pode gerar vontade de outras vezes, então, você pode e deve Dizer Não as Drogas! Seja forte, as drogas podem te levar a mundo sem volta!